Birdwatching no Algarve: os melhores locais para observação

Birdwatching no Algarve: os melhores locais de observação
26-Apr-2017

Com a chegada da Primavera, o Algarve torna-se numa região de excelência para a prática da observação de aves.

A diversidade de espécies residentes, e migratórias, e a variedade de ambientes naturais do Algarve fazem com que esta seja uma região especialmente atrativa para os apreciadores do Birdwatching.

Entre aves de rapina, marinhas, limícolas, patos e passeriformes, são várias as espécies que habitam a região algarvia, podendo ser observadas em diferentes habitats. Neste artigo vamos desvendar alguns dos melhores locais onde poderá observar algumas das mais belas espécies de aves no Algarve.

 

Península de Sagres

Zona caracterizada pelas extensas arribas rochosas com pequenas praias, densos matagais mediterrânicos e pequenos núcleos de pinhal-bravo.

Aqui poderá avistar as espécies residentes Gralha-de-bicovermelho, Sisão, Cotovia-escura, Felosa-do-mato e Falcão-peregrino; aves planadoras migratórias como a Cegonha-preta, o Abutre-do-egipto, o Grifo, a Águia-calçada, o Buteo-vespeiro e a Águia-imperial; e aves marinhas como a Pardela-de-barrete e a Pardela-do-mediterrâneo.

 

Ria de Alvor

Zona estuarina com uma extensa zona de sapal com presença de canais, bancos de vasa, salinas e campos agrícolas.

Aqui poderá observar espécies límicolas residentes como o Borrelho-de-coleira-interrompida, o Alcaravão e o Pernilongo e espécies migratórias, no período de inverno, como o Flamingo e o Colhereiro.

 

Serra de Monchique

O ponto mais alto do Algarve. É caracterizada por ser uma zona montanhosa, rica em água, com cumes rochosos, bosques de sobreiro, castanheiros e campos agrícolas.

Poderão ser observados nesta zona a Águia de Bonelli, a Felosa-do-mato, a Escrevedeira-da-garganta-preta e a Cia.

 

Lagoa dos Salgados

Lagoa costeira, protegida do mar um extenso cordão dunar, com margens revestidas por vegetação palustre, caniçais e juncais.

Neste ponto de observação poderá avistar espécies aquáticas como a Perra, o Garçote, o Caimão e o Alfaiate. Na altura de migração poderá observar espécies límicolas, entre as quais o Combatente e o Maçarico-galego, e espécies ardeídeas como o Papa-ratos e o Maçarico-preto. Se tiver sorte, pode ser ainda presenteado com a presença especial do Pato-de-rabo-alçado, o Galeirão-de-crista e o Pilrito-grande.

 

Caniçal de Vilamoura

Extensa área de caniçal com lagoas artificiais, canais e valas de escoamento, com presença de campos agrícolas e pomares de sequeiro.

Poderão observar-se Garçotes, Garça-vermelha, Caimão e Águia-sapeira. Nas alturas de migração e no inverno encontram-se Rouxinóis-dos-caniços, Cahpim-de-máscara e alguns anatídeos como a Perra e o Pato-de-bico-vermelho.

 

Lagoas Costeiras de Loulé

Conjunto de 3 zonas húmidas (Garrão, Dunas Douradas e Foz do Almargem), junto ao litoral, rodeadas por pinhal e duna. São ainda ricas em vegetação palustre, caniço e juncos.

Nestes locais poderão avistar-se espécies aquáticas como o Caimão, a Garça-vermelha, o Pato-de-bico-vermelho e o Zarro, e também algumas espécies florestais tais como o Charneco e a Poupa. No Inverno poderão observar-se o Chapim-da-máscara e a Escrevedeira-dos-caniços.

 

Serra do Caldeirão

Zona montanhosa com densos bosques de sobreiro e matos de arbusto. Esta área conta também com linhas de água rodeadas por vegetação ribeirinha.

Aqui poderão observar-se diversas espécies florestais tais como a Felosa-do-mato, o Melro-azul, a Águia de Bonelli e o Bufo-real. Nos meses de primavera podem também ser avistadas aves estivais como a Felosa-de-bigodes, a Andorinha-daurica, a toutinegra-real, o Papa-figos, a Águia-cobreira e o Torcicolo.

 

Ria Formosa

Conhecida por ser a terceira zona húmida nacional de maior importância, é constituída por uma extensa zona estuarina com sapais, salinas, dunas, canais, bancos de vasa e espelhos de água.

Aqui poderão avistar-se diversas habitualmente espécies de aves, entre elas a Gaivota de Audouin, a Chilreta, o Colhereiro e o Flamingo. No inverno poderá também observar-se a Águia-pesqueira e o Peneireiro-cinzento.

 

Sapal de Castro Marim e Vila Real de Sto. António

Este sapal é considerado uma das zonas mais importantes do país, sendo caracterizado pelos seus extensos sapais e complexos de salinas.

Poderão, nesta zona, observar-se mais de 200 espécies de aves durante o ano, incluindo a Gaivota de Audouin, a Gaivota-de-bico-fino, a Givina-de-bico-vermelho, o Flamingo, o Colhereiro, a Calhandrinha-das-marismas, o Sisão e ainda a Felosa-tomilheira, a Perdiz-do-mar, o Tartaranhão-caçador e o Alcaravão, conjunto de espécies que nidificam nesta área.

 

Foz de Odeleite

Afluente do rio Guadiana, esta área ribeirinha é rica em galerias ripícolas e hortas tradicionais. Algumas das aves que se podem avistar nesta zona são o Rouxinol-do-mato, o Abelharuco, a Cia, o Charneco, a Felosa-de-bigodes, a Águia-cobreira, o Guarda-rios e a Cotovia-escura.

 

Alcoutim e Rio Guadiana

Área árida, com pouca vegetação, rica em hortas e pomares de sequeiro. Azinhais e carrascais localizados nas margens com orientação para o Rio Guadiana.

Poderá observar-se regularmente o Andorinhão-cafre e, em área de nidificação, o Papa-figos, o Rouxinol-do-mato, o Charneco, a Felosa-do-mato, o Parda-montes, a Andorinha-daurica, o Borrelho-pequeno-de-coleira e o Bufo-real.


Últimos Posts


Onde beber os melhores cocktails no Algarve


Wine Tasting @ Aqua Pedra dos Bicos


Aqua Pedra dos Bicos recebe o eco-Galardão “Green Key”


Praias "escondidas" no Algarve


10 paraísos escondidos no Algarve

Subscrever Newsletter